Cancer de prostata

O câncer de próstata (CaP) é a neoplasia maligna de ocorrência mais comum entre os homens, excluindo-se câncer de pele não melanoma.

Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), estima-se mais de 65 mil novos casos de tumores de próstata.

 

FATORES DE RISCO ASSOCIADOS

Dentre os fatores de risco associados, temos principalmente a idade história familiar.

Sabemos que quem tem relato de câncer de próstata na família pode ter diagnostico cerca de 6 – 7 anos antes dos demais tumores. 

Outro fator importante remete ao aumento da chance do desenvolvimento do tumor: 

História paterna: aumenta risco 2,1 vezes; 

Irmão: 3,3 vezes mais risco; 

1 parente de primeiro grau com diagnostico antes dos 60 anos: 3,3 vezes, subindo para 5,08 vezes se dois parentes de primeiro grau. 

Ressalta-se ainda que afrodescendentes possuem aumento no número de casos (incidência) bem como agressividade tumoral / mortalidade. Outros fatores associados são Hipertensão arterial sistêmica, obesidade e tabagismo.

 

PREVENÇÃO

A melhor prevenção é através da realização de exames como o Antígeno Prostático Específico (PSA) e o Toque Retal (exame feito para identificar irregularidades ou nódulos na próstata).

Segundo os guidelines da sociedade europeia de urologia, o screening deve iniciar aos 50 anos, sendo 45 anos para indivíduos com história familiar ou negros.

O PSA é uma proteína produzida pela próstata em diversas situações, dentre elas o câncer de próstata, daí a importância de prosseguirmos a investigação se níveis alterados de PSA.

Outra ferramenta utilizada para rastreio é através do toque retal.

Cerca de 18% dos tumores são detectados apenas através do toque, e quando alterado aumenta em 2,5 vezes a chance de detecção de CaP e risco 2,7 vezes maior de tumor de alto grau (mais agressivos).

PSA ou toque retal alterado são indicações de Biópsia de Próstata (vide descrição em artigo próprio)

 

SINTOMAS

Na maioria dos casos não há sintomas em estágios iniciais.

Casos avançados podem se apresentar com dores ósseas e retenção urinária, por exemplo.

Por tudo isso indicados o rastreio precoce. A população em geral deve fazer o exame de toque retal e PSA a partir dos 50 anos de idade. Caso tenha algum familiar com câncer de próstata ou sejam de raça negra, indicamos os exames de screening a partir dos 45 anos.

 

TRATAMENTO

O tratamento do câncer de próstata está sujeito a agressividade do tumor, sua extensão e características gerais do paciente / comorbidades / expectativa de vida.

Dentre as modalidades terapêuticas temos cirurgia, radioterapia, hormonoterapia).

No tocante ao tratamento cirúrgico, podemos citar cirurgia aberta (por corte, que temos feito cada vez menos, laparoscopia e Cirurgia Robótica. A grande revolução no tratamento do câncer de próstata remete a cirurgia robótica, que agrega melhores resultados funcionais (continência urinaria, potência sexual) já nos primeiros dias após a cirurgia, bem como menos dor pós-operatória, alta e retorno precoce as atividades habituais.  Os resultados oncológicos de sobrevida livre de câncer, óbito, ou recidiva bioquímica não são afetados pela via escolhida (aberta, vídeo, Robô).  Saiba mais sobre cirurgia robótica.

 

Em relação a chance de recorrência após tratamento cirúrgico, temos nomogramas que levam em consideração características pré operatórias da doença. Um exemplo temos o nomograma do Memorial Sloan Ketteriong (https://www.mskcc.org/nomograms/prostate/pre_op)

botao-whatsapp-agendar